sexta-feira, 8 de junho de 2012

Vou embora pra Suécia

Eu não vou embora pra Suécia. Não por falta de vontade, mas (por enquanto, pelo menos) não vou.
Acontece que o blog precisava de um nome. Escolher o nome do blog é, sem dúvida, mais difícil que escolher o nome de um filho ou do seu bichinho de estimação. Isso porque se você gosta de Joaquim ou Rodrigo ou sei lá que nome você gosta, pode colocar no seu filho mesmo se outra pessoa já colocou no filho dela antes. O blog, além de ter um nome que combine com você ou com o que você se dispõe a tratar nele, tem que ser inédito. Aí ferrou. Você tenta uma coisa, tenta outra, vai ficando óbvio ou comprido,...
Esse blog não tem um assunto específico, então não precisava de um nome "esclarecedor", por assim dizer, eu acho. Mas pra fazer sentido tinha que ter alguma coisa de "Juliana" nele e poucas coisas são tão a minha cara quanto a imensurável vontade de morar na Suécia. Era isso ou "naoescoveosdentesnaminhafrente".
Eu quero ir pra Suécia desde que eu me entendo por gente. Foi a primeira viagem que eu quis fazer na vida. Meu pai foi pra Suécia quando eu era pequena e foi a primeira viagem internacional que eu me lembro de saber que alguém fez. Me lembro da gente na copa da casa da minha avó vendo as fotos da chegada da competição e dos suecos pelados, sem a menor cerimônia, tomando banho nos chuveiros abertos depois de correr e como aquilo era estranhamente engraçado. Lembro do meu pai comendo kiwi enquanto contava coisas sobre aquelas pessoas diferentes e do muito tempo que eu passei acreditando que o kiwi era uma fruta de origem sueca que ele tinha trazido na mala.
Depois da viagem, em diversas ocasiões, nós conhecemos algum sueco que vinha ao Brasil por conta da Orientação. Meu pai os levava em casa e eles sempre me fascinavam, tão altos, branquelos, simpáticos, pacientes e atenciosos conosco, as crianças. Além disso, eu achava as palavras de seus livros e materiais, seus nomes e tudo mais daquele idioma (que eu acreditava ser uma mistura de inglês e alemão) simplesmente fantásticos! Eu observava tudo e pensava que a terra de onde vinham essas pessoas estranhas devia ser igualmente formidável.
Uma vez, passou umas semanas em nossa casa um moço chamado Arto. Era um sujeito enormemente alto, que cheirava tudo antes de comer e e comia muito (deixando minha mãe desesperada, sem saber o que mais preparar). Usava umas roupas coloridas, acordava muito cedo e saía pra correr antes do café. Lembro de o levarmos à praia num dia de nenhum sol e muito mormaço que deixou o pobre ardendo por dias, apesar de todo o protetor solar e de ficar embaixo da sombra, enrolado na toalha, desenhando pacientemente coisas na areia para ensinar o nome em inglês ao meu irmão e a mim - e nós lhe dizíamos o nome em português - e da cara de espanto do meu pai quando encheu seu peixe de pimenta forte (não sem antes cheirar) e comeu como nada fosse.
Quase vinte anos depois eu fui para a Europa, fiz meus próprios amigos suecos e conheci a linda terra dos vikings - que de bárbaros não têm mais nada. As cidades pequenas, as ciclovias, a limpeza, a organização, as casinhas vermelhas no meio do nada(eu até tentei convencer minha mãe a pintar a casa dela de vermelho e colocar uma bandeira da suécia - e outra do brasil - na frente. Obviamente, não tive sucesso) e a tecnologia dentro das casinhas vermelhas no meio do nada. A Suécia só não é o paraíso na Terra por causa do inverno escuro. Dia escuro é muito ruim.
De forma que, sempre que as coisas me incomodam, que tem gente furando fila, jogando lixo na rua, esquecendo a educação em casa e outras "pequenas atrocidades" afins, eu penso, do fundo do meu coração: Vou embora pra Suécia!

7 comentários:

  1. Adorei esse primeiro post! Sua cara! Vou até virar seguidora :-)
    Mas vc nem citou o Niclas... ele merecia pelo menos uma linhazinha, não merecia?

    ResponderExcluir
  2. hahaha ele tá incluído nos "meus próprios amigos suecos", Mari. Ele e a Regina.

    ResponderExcluir
  3. Juliana!

    Good name for a blog. You should definitely come to Sweden soon! (And Norway for that matter, even a bit more idylic then Sweden I have to reluctantly admit, though nothing really beats Stockholm).

    Google translate did a pretty good job at translating, so I got most of it.

    Hope you are well, looking forward to reading more about your life weirdly translated by Google :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. and there we have the swedish approval! yey!

      Excluir
  4. eh, realmente o nome eh a sua cara... mas acho q o "naoescoveosdentesnaminhafrente" seria hilario como nome... acho q esse tema deveria pelo menos ganhar um post... hehehe :P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho!!! "naoescoveosdentesnaminhafrente" merece um post!!!

      Excluir
  5. Ju muito bom! Mas confesso que me enganei achando que vc estava mesmo indo embora (arrumando as malas e tudo!). E fato que "naoescoveosdentesnaminhafrente" seria um nome bem marcante (nunca entendi seu problema com isso e não sei de outra pessoa no mundo que tenha esse problema o_O)
    Posso dizer que certas 'atrocidades' do dia a dia tb me incomodam e entendo seu desejo de querer fugir disso indo para terras distantes.


    Muito bom o blog gostei =)

    ResponderExcluir